LUTO: Herzem Gusmão deixa uma contribuição ao esporte e ao jornalismo
Por Igor Novaes
23:46 | 18/03/2021

Nunca é fácil noticiar a morte de alguém, embora seja parte da árdua tarefa do jornalista. Aliás, quando falamos em Herzem Gusmão, que nos deixou nesta quinta-feira (18), também estamos falando de jornalismo, de décadas dedicadas à esta profissão que amamos e o projetou para chegar à Prefeitura de Vitória da Conquista.

Equipe de basquete da Escola Normal, Herzem (único em cores na foto) foi atleta do esporte em sua juventude. (Foto: reprodução).

Também estamos falando de esportes, porque Herzem os amava. Jogador de basquete e handebol na juventude, defendeu a Seleção de Vitória da Conquista nos Jogos Abertos do Interior, nos anos 70. Torcedor do Vasco, entusiasta do futebol conquistense, sempre foi um propagador das modalidades esportivas no espaço que teve.

Herzem entrevista Piolho em partida do Conquista E.C. pelo Baianão. (Foto: reprodução).

E se falamos de jornalismo e de esportes e falamos de Herzem, os mais antigos torcedores vão se lembrar dele na cobertura dos jogos pela Rádio Regional AM 760 do Conquista Esporte Clube, o azulino, em seus jogos no Campeonato Baiano. Época de Piolho e cia, à frente da equipe, encantando a torcida no Lomantão. Ausente de Vitória da Conquista por um período, Herzem passou alguns anos da década de 70 como repórter esportivo da Rádio Cultura da Bahia, em Salvador, retornando para o Sudoeste em 1978.

Nos anos 80, acompanhou a Seleção Brasileira no Mundialito de 1981, no Uruguai, época em que a Clube de Conquista se juntou à sua xará de Salvador na cobertura. O Brasil foi vice-campeão, mas a transmissão foi histórica para os 1060 AM da Clube.

Ainda na década de 80, Herzem explorou seu lado narrador fora da cidade, estando presente no Maracanã para o Fla-Flu que decidiu o Campeonato Carioca de 1984, com vitória do Tricolor por 1 a 0, e também no Estádio Monumental Universitário de Lima, no Peru, relatando o empate em 1 a 1 entre Universitário e Bahia, pelas oitavas de final da Copa Libertadores de 1989.

Comentando o jogo entre Vitória da Conquista e Bahia, no Estádio de Pituaçu, pela Copa Governador de 2015 ao lado do narrador Márcio Magalhães, na Rádio Clube. (Foto: Blog da Resenha Geral).

Herzem abriu os anos 90 sendo ousado, indo à Itália, para narrar a Copa do Mundo de 1990, onde o Brasil de Lazaroni foi eliminado nas oitavas pelos argentinos, numa doída derrota por 1 a 0. E de lá para os tempos recentes, o comunicador fez seus incisivos comentados na sua Resenha Geral, que conduziu entre 1978 e 2016. Falou do Serrano, do Conquista, do Vitória da Conquista, da Seleção Brasileira, da dupla Ba-Vi, da LCDT, e sempre chefiando a inesquecível equipe de esportes da agora Clube FM 95.9.

Apesar das ideologias políticas, dos diferentes lados de observar os problemas da 3ª maior cidade da Bahia, da polarização dos últimos anos em disputas eleitorais, Herzem Gusmão Pereira será sempre um forte nome da nossa história. Será sempre um mestre para todos nós que estamos na comunicação. Será sempre uma voz ecoando em Conquista. Será sempre uma marca reconhecida por cada conquistense.

Em Vitória da Conquista, na Bahia, as 12 horas serão mais silenciosas a partir de agora.

Receba todas as notícias no seu WhatsApp!
Cadastre-se e faça parte da lista de transmissão do Diário Esportivo!