Ilhéus terá novo clube que pretende estar na Série C do Brasileirão em até 5 anos

Por: Igor Novaes (@novaesigor)

A cidade de Ilhéus, no sul do Estado, é uma das mais tradicionais no futebol baiano,´presente na primeira divisão local a partir do ano de 1967.Entretanto, desde o ano de 2016, com o rebaixamento do Colo-Colo, o Campeonato Baiano não teve nenhum representante ilheense na Série A.

Enquanto isso, o Colo-Colo, campeão baiano de 2006 e participante das edições de 2017 e 2018 da Série B, não se inscreveu para a Segundona deste ano já que as obras do estádio Mário Pessoa não ficaram concluídas a tempo.

A Associação Cultural e Esportiva Jorge Amado pretende ser o novo clube do coração do torcedor ilhéense. (Foto: Blog São José Notícias).

Mas uma novidade despertou a curiosidade dos torcedores da “Princesinha do Sul”. Fundada no ano passado, a Associação Cultural e Esportiva Jorge Amado – ACEJA, começa a dar seus primeiros passos e sonha em entrar no futebol profissional a partir de 2019.

“A ACEJA Está montando sub-17,20, feminino e Profissional para que possa iniciar um novo ciclo do esporte na cidade, dessa vez com uma administração eficiente e responsável, que venha a da ênfase realmente ao esporte”, disse o presidente Rogério Oliveira.

É a primeira vez desde os anos 90 que um clube da cidade tenta entrar no futebol profissional e consequentemente, rivalizar com o Colo-Colo. Da última vez, o Ríver Ilheense esteve na Série A do Baianão entre 1995 e 1997 e de lá para cá, só investiu mesmo no futebol de areia.

A ACEJA, que tem como mascote o Coronel, mantém toda a sua documentação em dia desde a fundação e tem um projeto ambicioso de chegar na Série C do Campeonato Brasileiro em até 5 anos. Ambições de um clube que quer recolocar Ilhéus na rota do futebol nacional após 12 anos.

Fique atualizado!
Siga o Diário Esportivo nas redes sociais:
Compartilhe essa matéria