FBF pede que prefeituras liberem treinos; Ederlane é contra retorno agora
Por Guilherme Barbosa
11:55 | 18/06/2020

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) está se movimentando para que as equipes da primeira divisão do Campeonato Baiano possam retornar aos treinamentos. Nesta semana, prefeituras das cidades que abrigam as 10 equipes que disputam o Campeonato Baiano receberam ofício da FBF solicitando a liberação para que os clubes possam promover seus treinos.

Salvador e Feira de Santana já autorizaram o retorno das atividades. Bahia e Vitória já retomaram e Jacuipense, que treina na capital, e Bahia de Feira já anunciaram que retomarão os treinos. O elenco do Tremendão volta a treinar na próxima segunda-feira, 22, e o Jacuipense na próxima semana, em data a ser definida. Nenhuma das outras equipes anunciaram o retorno até o momento.

Apesar da movimentação para liberar as atividades dos times, a Federação ainda não se pronunciou a respeito de uma possível data para o retorno do Campeonato Baiano 2020, paralisado desde 17 de março, quando restavam duas rodadas para o final da primeira fase, etapa em que são definidas as equipes classificadas para as semifinais e a equipe rebaixada para a Segunda Divisão.

Em Vitória da Conquista a Prefeitura ainda não divulgou qualquer definição a respeito da liberação da realização dos treinamentos do Bode. Informações dão conta de que o prefeito da cidade, Herzem Gusmão (MDB) está analisando a questão.

Procurado, o presidente do Vitória da Conquista, Ederlane Amorim, aponta que não concorda com o retorno dos treinos agora. “A gente é totalmente contra o retorno nesse momento. Não temos a menor condição de retornar agora, eu continuo sendo a favor do isolamento. O risco ainda é muito alto e eminente”, explica o mandatário que desde o início da pandemia se mostrou preocupado com a situação e concordou com a paralisação.

Para Ederlane, mesmo com os protocolos, é impossível evitar o contato quando se trata do futebol. “A gente sabe como é o dia a dia do futebol, o contato é inevitável, então pra esse momento, ainda que a Prefeitura autorize o retorno, de forma isolada, seguindo os protocolos, a gente não tem nem elenco pra poder retornar agora”, explica Amorim, destacando que a blindagem dos profissionais envolvidos com o futebol exige uma estrutura que o clube ainda não tem. “Eu preferiria aguardar um pouco mais, ainda que a necessidade seja grande de voltar. Estamos em um momento de muita dificuldade financeira, como sempre. Antes da pandemia já estávamos, imagine agora”, diz ele demonstrando resiliência diante das dificuldades ampliadas pela Covid-19.

Outra ponderação apresentada pelo presidente do Alviverde é a ausência de uma definição em relação à data do retorno do Baianão e uma deliberação em relação ao calendário das competições nacionais, a exemplo da Série D, que o Vitória da Conquista irá disputar. “A minha intenção é retornar quando tiver uma perspectiva de retorno do campeonato (Baiano). Retornar por retornar, apenas pra satisfazer anseios de regulamentos e de parte burocrática eu acho ainda um risco”, refletiu. “O dia a dia do futebol é muito complexo, não é só juntar ou não juntar. Até para trazer jogadores de volta, de outros estados, confiná-los na sede ou fazer um time só com jogadores aqui de Conquista, ou seja, há muita coisa pra ser analisada antes que se estabeleça esse retorno sem nenhum objetivo por enquanto”, analisa. “Você pode voltar a treinar e fazer dois jogos, não se classificar e depois, sem data estabelecida pra o início da Série D, volta a parar de novo”, emenda Ederlane argumentando que o “volta e para” pode acabar sendo mais prejudicial do que a manutenção da paralisação.

De acordo com o Bahia Notícias, em matéria publicada após a entrevista com o presidente do Vitória da Conquista, o objetivo da FBF é promover o retorno do Campeonato Baiano no mês de julho. Isso depende, no entanto, de autorização do Governo do Estado, que através de decreto proibiu a realização de partidas de futebol, mesmo com portões fechados, até o dia 21 de junho. Procurado novamente, Ederlane disse que ainda não recebeu informações oficiais a respeito da definição de um retorno.

O Vitória da Conquista ocupa a oitava colocação no Campeonato Baiano, com 7 pontos, e, caso o Baianão retorne, tem pela frente jogos contra a Juazeirense, fora, e o Jacobina, em casa, nas duas últimas rodadas da primeira fase.